sábado, 8 de setembro de 2007

SORTE

Encontrei um Amor que sabe fazer massagem
Um Amor que Ama descompensado

Um Amor que nunca foi virgem, mas que nunca amara
Um Amor que Ama o que o Amor lhe tem dado.
Encontrei um Amor que nunca imaginei existir

Um amor de poucas palavras, grandes gestos e nenhuma censura
Encontrei um Amor para lembrar ser inesquecível.

O Amor que encontrei cabe em mim sem sufocar-me
O Amor do qual falo é meu, de mim mesmo.
Um Amor que coexiste cá dentro, desde há muito sufocado por este que dele não soube cuidar e deixá-lo possuir-me.

O Amor que encontrei é meu, com ele Amo na necessidade que se impõe.
O meu Amor implora para Amar quem o Ame e o deixe VIVO.

Meu Amor tem medo de ser morto por quem não sabe cuidar dos próprios monstros.
O meu Amor chegou renovando em mim o dia de ontem.
Refez meu hoje e Amo como se futuro o fosse.

Meu Amor é grande.
Cá dentro está, ouve quando gritam e silencia quando murmuram os de hoje.
Meu amor é nobre, e aos de cá não compreende...

Hoje ao espelho, vi a mim mesmo, dele quis sair por incomodar-me de mim
mesmo ser espectador.
Sofri ao ver que sofro e ao perceber que minhas lágrimas nem sempre são visíveis...

Senti o fardo que é o despropósito de Amar o desprezível que me arrebata
os pensamentos, senti que sofro na alegria, e que minha tristeza acrescenta
em mim um dom inato de Amar incondicionalmente e desprovido das
trocas necessárias...

Amo, pois o Amor se impõe.
Amo o Amor que há, pois a outro não saberia recorrer.


Marcilon Oliveira.
Ao que de mim, neste Tempo observa...

2 comentários:

prof disse...

Maravihosas palavras escritas por uma pessoa abençoada e iluminada. agradeço por ter tido a oportunidade de lhe conhecer. Bjo no coração,Bernadete

Marcilon Oliveira disse...

Grande Maria...
Obrigado!

Você sim, é honrosa por aqui.


Beijo! ^^